EUR

Langue

Devise

EUR- Euro
ARS- Peso Argentino
AUD- Australian Dollar
BRL- Real Brasileiro
GBP- English Sterling Pound
CAD- Canadian Dollar
CNY- 元人民币
HKD- Hong-Kong Dollar
JPY- 日本円
MXN- Peso Mexicano
CHF- Franc suisse
USD- US Dollar

Pirâmide do Louvre: história, arquitetura e lendas

Quando imaginamos a pirâmide do Louvre, pensamos na arquitetura transparente situada no pátio principal, em frente ao jardim des Tuileries. No entanto, existem cinco pirâmides no museu.

O início do projeto Pirâmide

O ano de 1981 e a eleição de François Mitterrand para presidência da República trouxeram várias mudanças ao Louvre. É o início do Grande Louvre com o anexo do edifício Richelieu, que até então era utilizado pelos escritórios do Ministério das Finanças. Ieoh Ming Pei foi designado, em 1983, para o planejamento de uma nova grande entrada para receber o público crescente e a disposição do interior do museu. Foi ele que desenhou a pirâmide cujo acesso foi aberto em março de 1989, simbolicamente no ano do bicentenário da Revolução Francesa.

Com a pirâmide, o Museu do Louvre toma uma nova dimensão para se tornar uma referência nacional e internacional. Era, no entanto, um projeto mais que odiado pela opinião pública. Pensou-se até que François Mitterrand se considerava um faraó anunciando a sua construção pelo arquiteto sino americano sem organizar um concurso, apesar de seu CV brilhante de autor de uma nova ala para a National Gallery of Art de Washington.

Hoje, a pirâmide é apreciada tanto pelos visitantes como pelos Parisienses. Integra-se perfeitamente ao palácio e tornou-se ela mesma uma atração turística. Os trabalhos, que incluíam também uma renovação das fachadas, trouxeram um verdadeiro renascimento para o Louvre. Não é raro ver transeuntes tirarem fotografia na frente da pirâmide. Além de uma entrada no pátio do palácio, a grande pirâmide tornou-se o símbolo do Louvre em si mesma.

As 5 pirâmides do Louvre

A pirâmide que serve de entrada no pátio do Louvre retoma as proporções exatas da pirâmide de Quéops. A escolha desta figura não se deu sem pensar na importante coleção de antiguidades egípcias no museu, mas também no Obelisco da Praça da Concórdia, não distante dali, no prolongamento do jardim des Tuileries. Em sua base, a pirâmide mede 35,42 metros de largura, por 21,34 metros de altura. 95 toneladas de aço e 105 toneladas de alumínio suportam o conjunto.

Três pirâmides pequenas acompanham a principal. Os seus lugares são estudados para criar poços de luz sobre os acessos às coleções do museu.

Por último, a pirâmide invertida é a que é visível no subsolo, quando se chega ao Louvre via Carrossel. É em sentido próprio uma pirâmide ao contrário e suspensa.

As placas de vidro das pirâmides são constituídas de losangos e triângulos. Esta mistura permite a criação da forma triangular em proporções irregulares. Obteve-se um aspecto de joia lapidada.

Obra do diabo?

Desenhada por I. M. Pei, a grande pirâmide foi muito desacreditada durante sua construção. Desde o anúncio do projeto, foi acusada de deformar o conjunto arquitetônico. Para que direção ia o museu? Composto oficialmente de 673 placas de vidro, é comum dizer que o número real seria de 666. É o número do demônio e da besta do apocalipse. A construção da Pirâmide seria, então, um mau presságio anunciando o fim do mundo?

Como você já deve ter percebido, a Pirâmide é definitivamente uma atração imperdível ao visitar o Museo do Louvre.