A Fundação Claude Monet: uma casa transformada em museu

Tours em Giverny A partir de 66,00 € Saber mais

Após o falecimento de Claude Monet, em 5 de dezembro de 1926, seu filho Michel Monet herda a propriedade de Giverny assim como as coleções e os quadros de seu pai. Tendo uma alma mais de aventureiro, ele parte para um safari na África, deixando a manutenção da casa e dos jardins aos cuidados de Blanche Monet-Hoschedé, que conta com a ajuda do chef jardineiro Lebret. Quando Blanche morre em 1947, o jardim e a casa ficam literalmente abandonados.

Com a morte de Michel Monet em 1966, e na inexistência de herdeiros, ele deixa, no seu testamento, todos os seus bens para a Academia de Belas Artes. No entanto, os meios financeiros existentes  e necessários para realizar os trabalhos de restauração não são suficientes. Jacques Carlu, membro da Academia de Belas Artes, toma então a decisão de acolher a coleção original de pintura e de estampas no Museu Marmottan. Enquanto isto, o telhado da casa em Giverny é refeito.

Após a morte de Jacques Carlu em 1977, a propriedade em Giverny é confiada a Gérald Van der Kamp. Ao assumi-la, a casa está degradada e o jardim encontra-se em um estado desolador: as ervas daninhas estão crescidas, os vidros das estufas encontram-se quebrados, os suportes metálicos estão tomados pela ferrugem, a madeira da ponte japonesa está bastante estragada e as margens, destruídas. Como a ajuda da Academia e do Conselho Geral do Eure não é vultosa o suficiente, Gérald Van der Kamp, ajudado por sua esposa, fará um apelo a mecenas americanos, e suas generosas doações permitirão começar os trabalhos de renovação.

Os trabalhos durarão três anos: casa, ateliers, mobiliário e estampas serão restaurados e o jardim renascerá graças ao chef jardineiro Gilbert Vahé. A ponte japonesa é reconstituída de forma idêntica à original, as plantas pelas quais Monet tinha tanta afeição são replantadas e as árvores mortas são cortadas. As margens são consolidadas com chapas de aço, e as alamedas são retrabalhadas, cimentada

Em 1980, a Fundação Claude Monet é oficialmente criada e no dia 1º de junho o domínio Giverny é aberto ao público. Desde então, a Fundação recebe a cada ano quase 500.000 visitantes vindos de todas as partes do mundo. É o segundo maior ponto turístico da Normandia atrás somente do Monte Saint Michel. Quando Gérald Van der Kamp morre em 2001, sua esposa Florence passa a cuidar da Fundação até sua morte em 2008. Desde março de 2008, o diretor da Fundação Claude Monet, eleito pela Academia de Belas Artes, é Hugues Gall.

Graças a esta fundação, agora é possível visitar o ponto turístico de Giverny Monet e apreciar a beleza do lugar tal qual era na época em que Monet dele se inspirava para pintar seus quadros.