Departamento de antiguidades orientais

Tours no Museu do Louvre A partir de 43,00 € Saber mais

O departamento de antiguidades orientais abriga os inícios da escrita. Os primeiros escritos da humanidade são conservados ali. O público pode, portanto, ter acesso aos primeiros textos de lei e às representações humanas que datam do período neolítico, época em que os homens adotaram a agricultura e a criação.

Três territórios geográficos

O departamento de antiguidades orientais é dividido em três coleções que correspondem às zonas geográficas em questão na parte oriental do Mar Mediterrâneo até a Índia, passando pela península Arábica e pelo mar Negro. Distinguem-se a Mesopotâmia, a Pérsia e o Levante (Lúcia, Lídia, Cilícia, Fenícia, Chipre).

A coleção de obras orientais foi enriquecida durante as escavações arqueológicas do século XIX, nas quais a França foi muito ativa. Explorando os lugares citados nos textos da Bíblia, os investigadores redescobriram lendárias civilizações antigas. Suas descobertas mostram a potência, o talento e o engenho dos povos desta época.

Uma seleção de 5 peças que vêm do berço da Humanidade

O Código de Hamurabi, rei da Babilônia

Esta pedra talhada de 2,25 metros de altura é uma peça de arte fabulosa e um testemunho precioso da vida na mesopotâmia. Datada de 1750 A.C, é o texto de lei da Babilônia mais completo conhecido até então.

Onde encontrá-la : edifício Richelieu, térreo, sala 3

O relevo do leão caminhando, oriundo da Babilônia

Símbolo da Babilônia na Bíblia, o leão é representado regularmente nas obras desta época. O leão caminhando é um baixo relevo que decorava os muros do palácio de Nabucodonosor, na Babilônia.

Onde encontrá-la : edifício Richelieu, térreo, sala 3

Friso dos arqueiros de Susa

Estes arqueiros estão entre as obras favoritas das crianças que visitam o Museu do Louvre. Realizado em tijolos coloridos, o friso mostra o desfile dos arqueiros equipados com lanças na mão e arcos sobre os ombros. Várias hipóteses confrontam-se quanto à identidade destes soldados persas. Alguns supõem que sejam “imortais” da guarda de Dário I.

Onde encontrá-lo : edifício Sully, térreo, sala 11

Estela de Baal do relâmpago, oriundo de Ougarit

Esta estela data da Idade do Bronze. Representa o Deus Baal plantando no solo um raio de forma quase vegetal. O pequeno personagem à direita do Deus seria o rei de Ougarit, protegido pelo deus guerreiro.

Onde encontrá-lo : edifício Sully, térreo, sala B

Capitel do palácio de Dário I

É impossível perder esta instalação monumental do departamento de antiguidades orientais. Não é uma simples escultura, é um dos capitéis de colunas da sala de audiência (Apadana) do rei Dário I. Era uma das decorações de uma sala quadrada de 109 metros de lado. Construída em Susa por ocasião da ascensão ao trono de Dário I, ele mostrava seu poder na sala de audiência aos visitantes que vinham consultá-lo.

Onde encontrá-lo : edifício Sully, térreo, sala 12a

Acesso às coleções do departamento de antiguidades orientais

Para chegar nessas obras, você deve continuar no térreo. O departamento está no edifício Sully e no edifício Richelieu. São 27 salas classificadas por territórios cobertos. Não deixe de passar na sala 4. Você será recebido pelos touros alados do pátio Khorsabad.

O visitante do departamento de antiguidades orientais do Museu do Louvre corre o risco de ser surpreendido pelas dimensões gigantescas de certas obras arqueológicas apresentadas. Mas não abandone as peças mais confidenciais. Algumas entre elas são testemunhos raros e inéditos dos primeiros vestígios de escrita no mundo.

Para evitar filas na compra de seus bilhetes, é aconselhável reservar seu bilhete de entrada para o Louvre online com a PARISCityVISION.

Informações sobre a COVID-19: Devido à situação do coronavírus, nossas excursões são canceladas até 1º de setembro. Reservas para visitas após esta data podem ser feitas diretamente online. Confira nossas últimas informações atualizadas AQUI.