Descubra a Vênus de Milos, no Museu do Louvre

Tours no Museu do Louvre A partir de 39,00 € Saber mais

A Vênus de Milos, exposta no Louvre, foi descoberta no início do século 19, na ilha de Milos. Desde então, ela passou a ser considerada como uma das obras-primas esculturais mais importantes do mundo. O mistério que a envolve, as técnicas típicas da época helenista, a beleza de suas formas e de suas curvas... O Louvre Paris pode se orgulhar em possuir uma das mais belas esculturas do mundo. Todo ano, a Vênus de Milos atrai dezenas de milhares de visitantes que chegam para ver de perto essa obra legendária, em um dos museus mais prestigiosos do planeta.

Descubra a Vênus de Milos no Louvre

A Vênus de Milos foi descoberta em 1820, na ilha grega de Milos, no centro das Cíclades. Assim que os arqueólogos tiram-na da terra, a estátua fez um sucesso fulminante. Construída segundo a técnica das peças separadas — que visava criar cada elemento separadamente e, em seguida, colocá-los juntos — a estátua é especial, por causa de sua idade avançada. Os especialistas avaliam que ela tenha sido esculpida, no mármore, em 100 A.C. Sabemos igualmente, graças aos orifícios de fixação, que a deusa era ornada de joias. Quanto aos braços, eles ainda não foram encontrados e a Vênus de Milos do Louvre conserva uma grande parte de seus mistérios.

Uma representação divina da criação helenista

A Vênus de Milos tem a particularidade de mixar estilos: uma concepção relativamente clássica se reúne a detalhes típicos da arte helenística. Ela é composta por dois blocos de mármore, com uma altura total de mais de dois metros. Cada parte foi trabalhada separadamente. O busto, os pés, as pernas e os braços foram colados uns aos outros graças a selagens verticais. A descoberta da Vênus de Milos, no Louvre, permite que você admire a deusa como se estivesse tirando uma "fotografia" tirada naquele exato momento, com as dobras do tecido caindo sobre os quadris: técnica típica do período helenístico, entre o 3.° e 1.° séculos a.C.

Como a Vênus de Milos chegou ao Museu e foi exposta

Um ano após sua descoberta, em 1821, a Vênus de Milos chegou ao Museu do Louvre. O responsável pelo ateliê, na época, propoz restaurá-la e completá-la inteiramente. Ele queria colocar um pé e o nariz ausentes, mas também seus braços. Após uma longa polêmica, ficou decidido que não restaurariam os braços da deusa, já que podiam cometer um erro quanto ao posicionamento deles.

A Vênus de Milos foi exposta no Louvre em julho de 2010, depois de seis meses de restauro, onde está exposta rodeada por objetos descobertos ao mesmo tempo que ela.

Um regresso extremamente aguardado pelos fãs de arte do mundo todo.

Para descobrir a Vênus de Milos no Louvre, siga pelo térreo até a ala de Sully, na sala 16. Então aproveite da ocasião para admirar a beleza e a originalidade da obra, responsável, em grande parte, pelo entusiasmo que a célebre estátua provoca nos quatro cantos do planeta.