Os Jardins de Claude Monet em Giverny

Tours em Giverny A partir de 66,00 € Saber mais

Le Clos Normand

O jardim que se estende em frente à casa é chamado Le Clos Normand (O Terreno Normando). Com uma superfície de aproximadamente um hectare, o jardim é repleto de flores dos dois lados da grande alameda central que, no verão, fica cheia de capuchinhas. Claude Monet refez o jardim retirando as macieiras, ciprestes, maciços de buxos e epíceas que antes existiam para criar uma alameda central sobre a qual ele colocou arcos metálicos e onde as roseiras trepadeiras se espalham.

De cada lado da alameda, inúmeras flores foram plantadas misturando múltiplas cores e variedades: rosas, capuchinhas, tulipas, papoulas, papoulas do Oriente, junquilhos, íris, peônias, narcisos, margaridas

O pintor também plantou árvores frutíferas no seu jardim como cerejeiras e damasqueiros do Japão.

Claude Monet se apaixona pela jardinagem e reproduz seu estilo artístico na maneira como elabora seu jardim: nele planta flores de diferentes alturas e variedades para dar efeitos de perspectiva e jogos de cores.

As flores crescem livremente no jardim, sem limites, assim como o pintor se deleita a pintar com toda independência, longe de qualquer código pré-estabelecido.

O Jardim Aquático

De inspiração japonesa, o jardim aquático é encontrado em inúmeras telas de Monet. O pintor fica fascinado pelos jogos de reflexos e de luz sobre a água. Este jardim é composto de um lago no qual Monet colocara nenúfares – para enfeitá-lo de flores -  e as quais começará a pintar a partir de 1897. Em volta do lago, coloca plantas e árvores que evocam o Japão como bambus, salgueiros chorões, glicínias, lírios, peônias, áceres e ginkgos biloba.

A ponte japonesa

Ele constrói diversas pontes neste lago, sendo a mais imponente a que se situa no mesmo eixo que a alameda central do Clos Normand. Esta ponte japonesa é inspirada nas estampas que ele coleciona em casa, e ao pintá-la de verde, confunde-a com a paisagem ao redor. Feita de madeira de faia, a ponte será uma grande fonte de inspiração para as pinturas do artista, pois o charme de suas curvas produz um efeito todo particular na superfície da água, entre reflexo e jogo de luz vindos dos raios do sol que dão uma estética diferente a depender do momento do dia.

Acho que eu para entender: Durante a visita de descoberta de Giverny e de Monet, o jardim do artista lhe oferecerá muito mais do que uma brisa de ar fresco e de natureza. Você entrará no universo íntimo do maior pintor impressionista da época.