A Liberdade guiando o povo pintada por Eugène Delacroix, no museu do Louvre

Tours no Museu do Louvre A partir de 41,00 € Saber mais

O óleo sobre tela foi pintado em 1830, inspirado na revolução das "Três Gloriosas" (Revolução de julho). Ela é uma das principais obras do museu do Louvre, juntamente com a Vênus de Milo, A Balsa da Medusa e a Monalisa, de Leonardo Da Vinci. Vejamos um pouco sobre a pintura, que se tornou depois disso um dos símbolos da República Francesa, para que você possa melhor apreendê-la durante sua visita ao Louvre. Esta obra espera por você no Museu do Louvre: o bilhete de entrada permite admirá-la

Um contexto revolucionário forte

A expressão da Revolução de Julho faz referência à extensão da luta, que durou três dias: 27, 28. 29 de julho de 1830. Esta foi a segunda Revolução Francesa, após aquela de 1789. Os parisienses se revoltaram contra o rei Carlos X e a violação das liberdades conquistadas em 1789. Este estado de guerra forçou o rei a fugir da capital e abandonar o trono. Ele foi substituído por Luís Felipe 1°, que instaurou a monarquia no mês de julho.

A amplitude política da Liberdade Guiando o Povo

A Liberdade Guiando o Povo, de Eugène Delacroix, representa uma cena de barricadas. As torres da Notre-Dame, no fundo da perspectiva, indicam claramente que os confrontos acontecem em Paris. Delacroix, testemunho do acontecimento, decidiu pintar esta tela - que se tornou um dos símbolos da República Francesa. Aliás, esta obra-prima serviu como modelo a diversos selos e às antigas notas de 100 francos.

Vemos que este quadro foi pintado em forma de pirâmide. Eugène Delacroix pintou, no topo desta torre de corpos mortos, a bandeira francesa - azul, branco, vermelho balançando fielmente ao vento. Ela é carregada pela figura da Liberdade, representada pela mulher.

O gorro frígio o qual a personagem feminina colocada no centro do quadro santifica era, no passado, usado pelos escravos libertados do Império Romano. Assim, ele teria siso usado pelos revolucionários oriundos do sul do país, em sinal de libertação. Hoje, ele faz parte dos símbolos fortes da República Francesa e dos atributos da Marianne, que representa, desde então, os valores da República: "Liberdade, Igualdade, Fraternidade". Ela é considerada como um ícone da liberdade e da democracia e é por isso que seu busto figura nos imóveis oficiais da República. Em sua representação, Marianne tem, com frequência, os mesmos traços do personagem pintando do centro do quadro de Delacroix, com os seios aparentes.

Trata-se, desta forma, de uma obra de arte que coloca em cena os símbolos de poder da República Francesa. Seu título começa a fazer sentido ao conhecer a representação do personagem central: A Liberdade Guiando o Povo.

Chegada da obra-prima de Delacroix no Louvre

O quadro foi apresentado pela primeira vez ao público durante o Salão de Paris de 1831. Na época, ele era chamado de "Cenas de barricadas". Em seguida, a partir de 1863, a tela começou a ser exposta no museu do Luxemburgo. Foi em 1874 que o majestoso quadro, já nomeado "A Liberdade Guiando o Povo", foi para o Louvre, sete anos após a morte de Delacroix.

Para admirá-lo, siga até a Ala Dénon, no 1° andar, na sala 77 do museu.

.

Informações sobre a COVID-19: nossas excursões e atividades não são operadas de 1º de outubro a 25 de dezembro. Eles podem ser reservados online agora para datas posteriores. Clique AQUI para saber mais sobre as medidas de saúde implementadas e respostas às perguntas mais freqüentes.